Escárnio e bem dizer
terça-feira, abril 12, 2005
 
Porto. Davidoff... já volto.
 
Tenho medo. Não estou a gostar do caminho que isto leva.
 
Se vocês soubessem os nervos com que estou hoje! ai ai.
 
um post. Cá está ele. Pronto!
 
- Há coisas que não se dizem a ninguém, nem a quem odiamos, muito menos a quem, supostamente, amamos.
(...)
- Não. Não posso. Não consigo. Dói muito ainda. Talvez tenha sido um erro, porque não estou preparada. Não estou.
segunda-feira, abril 11, 2005
 
Finalmente consigo fazer o que tanto me pediste. Sabes, penso tanto em ti. Tanto nas coisas que me pediste para fazer e eu era incapaz. Era até incapaz de compreender o porquê de não conseguir. Isso continuo sem entender, mas acho que consigo fazer o que me pediste. Talvez ainda não da melhor forma, mas de uma forma que se aperfeiçoa a cada dia que passa.
Às vezes penso: o que acontece se eu precisar de ti da mesma forma? Não posso ter-te, eu sei. Sabíamos disso quando deixámos as coisas evoluir para este lado, mas deixámos porque assim teve de ser. Foi inevitável. E, sabes que mais? Não me arrependo nada. Nada mesmo. Porque gosto tanto de ti que era impossível toda aquela distância exigida. Era impossível também para ti. Mas e se precisar? Custa-me imenso pensar nessa possibilidade. Eu sei o que me dirias. Dirias: não vais precisar. E se precisar?

Powered by Blogger