Escárnio e bem dizer
sexta-feira, setembro 24, 2004
 
sorriste como quem pensa que tudo está em jogo. Não confias. Estás apreensiva. Vais continuar a estar.
Sabes, minha querida, por vezes enganamo-nos no que fazemos e a quem o fazemos. Por vezes nem sofremos as consequências de tal acto, noutras vezes ficamos sempre com a dúvida. Um dúvida que não queres esclarecer porque achas que não te importa. Talvez não te importe... e se importar?
 
Sem olhares mostraste-me o arrependimento de quem quer pedir desculpas. Agarraste-me a medo com a gratidão de quem tem medo que me sinta traída. Não sei se sinto, talvez um pouco, mas entendo-te meu querido.
Apertaste-me e moveste a mão como quem diz que acredita em mim, que não esqueceu, que agradece e pede desculpas. Desculpas por ter esquecido por um momento... um momento do qual se arrepende e que, em tanto, alterou a vida. A tua vida. A nossa vida...
 
És sempre tu. Sempre o mesmo. De coração aberto e confiança total. És tão especial que seja a ser inacreditável que existas.
quinta-feira, setembro 23, 2004
 
Às vezes penso que sou doente, sabes. Doente mesmo. Não é normal esta intensidade, esta urgência. Não é normal.
Tenho tanto medo de me esquecer. De alterar... entendes?
Eu gosto de sentir assim, mas tenho medo de deixar de sentir por este sentir não ser normal. Tenho medo... não sei... não consigo entender... tenho medo...
 
Agora não posso fazer nada quanto a isso. vou ter de esperar. Nem imaginas a tua importância.
 
Um email:



> Assunto: Reciclagem de óleos alimentares
>
>Olá, pessoal ecológico, ou não! O que fazemos aos óleos alimentares que
>usamos nas nossas fritadeiras (batatas, pastéis, etc)?
>
> Mesmo que não façamos muitos fritos, quando fazemos e após algumas
>utilizações, deitamos o óleo no lava-loiças ou mesmo na casa de banho,
>certo?
>
>Pois eu também fazia isso, até ontem, quando descobri que este era dos
>maiores erros que podíamos cometer. E porque é que fazemos isto, perguntam
>vocês? Porque infelizmente ninguém nos diz como fazer ou não nos
>informamos, não é verdade?
>
>Sendo assim, passo a explicar-vos que o melhor que tem a fazer é colocar
>os óleos utilizados numa daquelas garrafas de plástico (por exemplo as
>garrafas das águas minerais), fecharem-nas e colocarem no vosso lixo normal
>(ou seja, o orgânico). Todo o lixo orgânico que colocamos nos sacos vai
>para um local onde são abertos e triados; assim, as nossas garrafinhas são
>abertas e vazadas no local adequado, em vez de irem juntamente com os
>esgotos para uma ETAR e ser necessário despender milhares de euros a mais
>para o seu tratamento.
>
>Esta informação foi transmitida por uma engenheira do ambiente.
>
>PS - Passem para mais gente, afinal é para o bem de todos. Vamos cuidar
>melhor do nosso planeta!"
quarta-feira, setembro 22, 2004
 
Eu disse antes de mais, não foi? por isso agora tenho de escrever mais... pois. Parece que temos um problema então.
 
Antes de mais

Parabéns
terça-feira, setembro 21, 2004
 
Pois é!
Cá estamos então...
Ai mais uma noite e tal.
Isto a vida são só dois dias e o carnaval são três.
 
Ora bem, portantes, é assim...
Vidas!
ai os imortais, os imortais!

domingo, setembro 19, 2004
 
Bolas, surpreendeste-me. De uma forma extremamente positiva. De tal forma que trouxeste uma alegria imensa a um dia pelo qual eu já não dava nada. Muito e muito obrigada. Fiquei sem palavras, fiquei mesmo. Ainda não consegui reagir diante de ti.
Adoro-te tanto que às vezes tenho medo.

Powered by Blogger