Escárnio e bem dizer
quinta-feira, abril 22, 2004
 
Um dia abri este blog com o objectivo de "carpir mágoas". Sentia-me mal e vim até aqui para me sentir melhor. Assim foi. À medida que o tempo passou esse objectivo do blog desapareceu mas eu por aqui permaneci quase diariamente.
Ultimamente a vontade de escrever com frequência desapareceu. Muitas vezes sinto-me forçada a vir aqui meter qualquer coisa e nunca quis que este blog fosse uma obrigação, mas sim uma diversão. É assim que quero que continue. Por esse motivo, serve este post para avisar que é possível que a frequência dos meus posts diminua. Quer dizer, ela já diminuiu há uns tempos, nunca me tinha era dado para avisar.

Ou seja, estou a libertar-me da obrigação que sinto em postar. A partir de hoje posto apenas quando me apetecer, se me apetecer. Se calhar até posso postar de minuto a minuto, ou estar semanas sem o fazer. Depende da vontade e pronto.

Então olhem, beijinhos a todos
quarta-feira, abril 21, 2004
 
Já passou.
terça-feira, abril 20, 2004
 
Vou dormir que o meu mal é sono.
 
Hmmmm, é melhor não... Bolas!
 
E se eu desatasse a proferir uma carrada de asneiras?
 
Hoje apetece-me chorar. Não, não tenho quaisquer motivos para isso, mas apetece.
Queria ver-te. Queria falar contigo. Ou então não é nada disso e estou apenas com uma birra nem sei de quê.
A verdade é que posso falar contigo a qualquer altura. Ver-te é mais difícil mas não impossível. É apenas uma questão de tempo e disponibilidade. Mas não é nada disso.
Apetece-me chorar por mim e não por ti.
Acho que tenho saudades de mim... Tenho saudades dos meus sonhos. Aqueles que deixei de ter.
segunda-feira, abril 19, 2004
 
Já ultrapassámos todas as barreiras. Porquê? porque sabemos que elas são falsas. Eu estou aqui, tu estás aí, deveríamos ter um "muro" a separar-nos, mas deitámo-lo abaixo quase desde a primeira vez que nos vimos. E agora vivemos o dilema de ter de fingir que o temos lá quando vemos perfeitamente que ele não está onde deveria estar há muito, muito tempo.
Eu estico a mão e tu agarras-ma. Eu abraço-te e tu entregas-te nos meus braços como se fossem o teu abrigo favorito. Talvez sejam. E eu gosto de te ter assim. Mas fingimos ter um muro que deveríamos ter. Tenho tantas saudades!
 
Estou aqui que nem posso! deu-me uma daquelas insónias parvas!...
 
AI AI!
 
Olhem, isto é conforme me dá. Uma vezes dá-me assim, outras vezes dá-me assado. Frito é raro mas também acontece.
 
passou-se!
domingo, abril 18, 2004
 
Eu amo-te. Amo-te de uma forma totalmente platónica, sem nada de físico associado. Ou melhor, de físico só os abraços que quero dar-te e a vontade que tenho de te proteger.
Amo-te com todas as minhas forças, tanto que faria qualquer coisa por ti (ou quase).
Como se pode não amar alguém que nos faz amar a nós mesmos?
 
Caramba! tenho tantas saudades tuas que doi!
 
Sim sim... ando a percorrer os blogs todos. E mais: ando a apagar todos aqueles que não actualizam há mais de um mês.
 
Muito linda a menina! gostava de saber porque é que não recebi esse email. Aliás, gostava de saber porque é que não recebo emails da Mailing List há uma carrada de dias?
 
Parabéns! atrasados, mas Parabéns... (também só atrasei vinte e poucos minutos)
 
Alguém me pode dizer o novo endereço da duende?...
 
ok. Passou o dia 17 e agora é dia 18.

Siga para bingo.

Powered by Blogger