Escárnio e bem dizer
sexta-feira, janeiro 30, 2004
 
Roubando:

"Se soubesses o quanto eu vejo para além dos teus olhos, já há muito me terias cegado."

Lindo!

quinta-feira, janeiro 29, 2004
 
"O desgosto e a alegria dependem mais do que somos do que daquilo que nos acontece." - Esta é uma grande verdade.
 
Ora aqui está uma coisa que sempre achei parva. Alguém se lembrou de fazer alguma coisa quando a isso. Vão ver: http://www.reformaigual.net/
 
Posso sempre dizer que estou aflitinha para fazer xixi e vou à casa de banho, mas acho que isso não interessa nem ao menino Jesus.
 
Estão aqui 3 pessoas. porquê se eu não escrevi nada? Estava a pensar nisso, mas não tenho grande coisa para dizer.
 
Descobri este, este, este, este, e este. depois hei-de explorar cada um deles um pouco melhor.
 
Vou ali ao destes explorar os links. De vez em quando dá-me para isto.
 
O resto da história? estou aqui que nem posso!
 
Eu era incapaz de partir este bolo. Preferia que apodrecesse. Mas eu sou iztupida (há muito tempo que não me chamava isto, devia andar doente).
quarta-feira, janeiro 28, 2004
 
Depois daquela visita, fomos para um jardim. Deitados na relva abraçámo-nos e beijámo-nos como dois jovens adolescentes que não pensam nas consequências dos seus actos. O jardim ia fechar, e agora? que fazer? para onde ir?
Sugeriste aquele outro. Não! esse não! não é perigoso? Disseste que não. Querias ter-me fosse a que custo fosse e eu, perdida de mim, não me importava com nada.
Abraçados com pouco amor e muita sexualidade fomo-nos deixando levar até aparecer a polícia. "O que estão aqui a fazer? Não sabem que isto é um sitio perigoso?". Eu sabia, pensei eu, mas não disse. Envergonhados fomos embora de lá para outro local, nem sei se mais ou se menos perigoso. Com cães a ladrar e guarda nocturnos a passear fomo-nos deixando levar até que desistimos. Era melhor não. Mas ficámos ali, até de manhã. Apenas connosco e a nossa frustração. Ou pelo menos a tua. Eu, de certa forma, senti-me aliviada. Nem sei porque te deixei ir tão até ao fundo. Porque estava tão perdida de mim? onde andava eu? Quem era?...
Depois dessa tarde, dessa noite e dessa manhã, nunca mais te vi. Afinal foi a primeira e última vez que estivemos juntos. Mas eu continuei perdida durante mais algum tempo. Muito perdida.
 
Adoro ser mimada.
 
Fizeste-me torradas com manteiga, primor, como eu gosto.
 
Mas vinha eu aqui dizer que afinal o telefone não tocou a meio da noite, mas já tocou hoje de manhã. Era de esperar. Agora, Maria, tem calma e pensa bem na atitude a tomar. Tudo se resolve, é o que vale.
 
Obrigada por dizerem que afinal está a funcionar ;)
terça-feira, janeiro 27, 2004
 
mas porque é que o meu bloguinho não está a funcionar?
 
Ora porra para a consciência!
 
Mas porquê? porquê?!
 
Vendo bem a coisa também não são ERROS assim em letra maiuscula... Bem vistas as coisas pode ser que sirva de alguma coisa... gaita!
 
Hoje é um daqueles dias em que tenho pena de quem me procurou. Ora que gaita, uma mulher está mal disposta e depois só faz merda! e depois? depois devia ter ficado em casa. Já sei que nestes dias devo telefonar a dizer que não posso ir. Mas não! pensei que conseguia abster-me (isto está bem escrito?) de mim mesma, como é hábito fazer, mas hoje não consegui. E depois dá nisto. Acho que cometi erros e agora vou ter de os aturar. Já sei como é.
Vai-te preparando Maria porque o telefone vai tocar a meio da noite. Ai vai vai!
 
E não, não me importo com os vernáculos!
 
Porra que hoje estou estúpida!
 
"Todas as decepções são secundárias. O único mal irreparável é o desaparecimento físico de alguém a quem amamos"
 
E além disto tudo devo dizer que tenho sede.
 
És tão comoventemente pequena e curiosa.
Sentaste-te ao meu colo e acariciaste-me a mão. Julgo que nem te apercebes ainda do calmante que o teu toque é, mas é, minha querida. Calmante e relaxante.
Consegues colocar-me um sorriso no rosto e ser a estrela brilhante numa noite que se tornou tão escura.
segunda-feira, janeiro 26, 2004
 
"Não há comparação entre o que se perde por fracassar e o que se perde por não tentar"
 
Não tenho palavras


domingo, janeiro 25, 2004
 
Hoje descobri este blog. Adorei a dissertação sobre a expressão "beijos gordos" :) acho que vou ficar fã de mais um... a ver se não me esqueço.
 
Então, já passou?
 
Também por email:

"O que é a Selecção Nacional?
É um facto indesmentível que a blogosfera veio para ficar. A facilidade de publicação, a liberdade de expressão, a confidencialidade são os seus maiores atractivos. Mas a facilidade de publicação, a liberdade de expressão e a confidencialidade são um (neste caso três) paus de dois bicos: como espaço democrático por excelência, a blogosfera presta-se a serviços menos dignos, como são exemplos alguns blogues que nada mais servem do que para intoxicar e desinformar, ou pura e simplesmente para ocupar espaço e que decerto envergonha muitos blogueiros. O grande problema é que alguns blogues não servem para nada. Só estorvam. Mas não se podem pura e simplesmente proibir o seu uso e a sua frequência. Este blogue serve apenas para analisar alguns blogues que andam pela blogosfera. Esses blogues serão votados de 0 (zero) a 20 (vinte), e os blogues analisados serão também avisados que foram selecionados. "

Como achei que o meu blog se identificava com a descrição acima, decidi publicitar este espaço que me denuncia. ;)
 


sem mais comentários.
 
Vindo por email:

"Ouve-se dizer que o país vai ser, de novo, referendado sobre o aborto. Ao que foi conseguido apurar, a questão que será exposta aos cidadãos já está formulada e é aqui avançada em primeira mão. A saber:


Qual a sua opinião sobre o aborto?

a) Tem sido um bom primeiro-ministro.
b) Tem sido um primeiro-ministro ineficaz.
c) Nem sequer tem sido primeiro-ministro."
 
Divirto-me imenso contigo, minha querida.
 
- E se eu não consigo?
- Tudo o que fazemos tem consequências. Ou fazes ou sabes as consequências que tens de enfrentar.
- Tenho medo de não conseguir.
- Isso é um problema teu. Tens de aprender a controlar os teus impulsos.
 
Não, não vou escrever este post.

Powered by Blogger