Escárnio e bem dizer
sábado, novembro 15, 2003
 
ai ai a minha vida... estou aborrecida. bom fim de semana ou talvez mais.
sexta-feira, novembro 14, 2003
 
depois desta, também esta aprova a minha "fartação" dos bonecos ali no canto superior direito... ora então eles não voltam mais... (até porque me dava muito trabalho andar a mudar aquilo de vez em quando).

Obrigada loirita :]
quinta-feira, novembro 13, 2003
 
está bem, pronto! :(

(amuei)
 
Encaro os blogs quase como se fossem locais públicos com festas, onde os anfitriões das festas são quem tem esse blog.
Todos os dias eu vou a umas quantas festas e já sei se vou encontrar um, dois ou mais anfitriões.
Habituo-me a isso e vou àqueles locais que gosto mais e os que gosto assim assim. Sei, por exemplo, que na discoteca desblogueador o anfitrião mais presente é o Nelson. Gosto da forma como ele me recebe, mas mesmo que seja qualquer um dos outros gosto de ser recebida. No restaurante Gato Fedorento nunca sei quem está a atender. Posso até ter uma ou outra preferência, mas sinto-me sempre bem lá.
Depois existem os barzinhos mais intimistas. Aqueles que têm sempre o mesmo anfitrião e do qual eu gosto, com quem simpatizo e por quem faço questão de ser atendida.
Sou terrivelmente avessa a mudanças. Se gosto mesmo de uma coisa não a mudo nem à lei da bala. O 100nada bar era um destes bares intimistas. Que me dava uma sensação de conforto de cada vez que lá entrava. Agora deixou de ser assim. Gosto de ser recebida pela Catarina, mas a dúvida de se será ela ou não a atender-me deixa-me triste.
Não tenho nada contra o ou a AL, nem o/a conheço, mas preferia ser atendida só pela Catarina, pelo menos no 100nada... se queriam abrir um bar juntas, abrissem outro. Não estragassem aquele que eu frequento.

(sim, sou franca, directa e por vezes bruta nas palavras).

Expliquei bem o porquê de não querer que deixasse de ser individual?
quarta-feira, novembro 12, 2003
 
O que te diria se te ligasse hoje?

Diria que estou triste. Que preciso de ti.
Pedia-te que me compreendesses e parasses de me «atirar» com teorias nas quais sabes que não vou acreditar.
Tenho medo de falar contigo porque sei que é nelas que te vais socorrer para me tentares acalmar. Sei porque eu faço o mesmo. Mas não é disso que preciso agora, amiga. As teorias também eu conheço todas. Também repito vezes e vezes para mim mesma. Não adiantam. Preciso de um abraço teu. Preciso que me agarres na cara e me digas que não me abandonas. Preciso de chorar no teu ombro. Não me recuses isso.
 
Preciso tanto de um abraço carinhoso!
 

 
amiga...


 
PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA! PORRA!
 
Ainda por cima este deixou de ser individual. Não me quer acontecer mais nada hoje?
 
A merda do i-eu não abre.
 
Sim, deixei de estar mais ou menos racional.

Aliás vou já ali mudar o estupor do boneco.
 
E vocês que aqui vieram cheirar? não gostaram é? PACIÊNCIA! o blog é meu e hoje estou com uma fúria do tamanho do mundo!

tinha de ir libertar o stress para algum lado... AZAR O VOSSO! vim para aqui!
 
Dou em doida cada vez que falo contigo! Por favor aprende a simplificar as coisas! mais do que isso: aprende a respeitar o espaço e as decisões dos outros.
Para que hás-de andar permanentemente a meter o nariz e a tirar conclusões sobre situações da vida de OUTRAS pessoas, quando nem sequer sabes o que essas pessoas já decidiram?

NÃO TE METAS! não admito que te metas. A vida é minha, bolas! não admito que passes o tempo a dizer o que achas ou não achas sobre aquilo que EU vivo!

ESTÚPIDA!
terça-feira, novembro 11, 2003
 
Entraste em prantos.
A morte é sempre difícil de enfrentar até para quem apenas conhece quem fica vivo.
Conheço-te, sei que tens força, mas tu não sabes.
 
Ontem deitei-me normal (na medida do possível). Hoje acordei constipada... o que se passou durante a noite?
 
Agora é desta... vou fechar isto e vou dormir.

(acho que esta informação não interessava a ninguém porque os leitores que ainda resistem aos dias de abandono já se foram deitar todos)
 
AIIII vocês nem me lembrem o túnel das Amoreiras! que nervos!
 
Olha olha! os neurónios têm novo look!
 
A sensação de estarmos dentro de uma máquina, num ambiente que não é naturalmente o nosso (a não sei quantos mil quilómetros lá para cima)... numa máquina pesada como tudo e a voar é assustador. Mas há lá coisa melhor do que a sensação de voar? de ver a terra por cima? de ir ao céu e voltar?

Bom esta última não é necessariamente a andar de avião... adoro andar de avião.

Senta. Relaxa e aproveita o momento.
 
Se cantares tão bem como eu não te metas nisso!
 
Pois é! ele fez 90 anos... tá velho, começa a perder a racionalidade, a sensatez e a memória... ele tinha isso tudo, não tinha?
 
Aquecer água para o chá e ir ler o email... seguidamente passar pelos blogs favoritos.
 
É curioso... tenho andado desaparecida em reflexão por vários motivos. Mas jamais me passaria pela cabeça dizer um "não há retorno" ;) (não consegui evitar, sorry!)
 
olha a Catarina lembrou-me de boa. Um chá!
 
sim, ando desaparecida... depois explico porquê. Ou então não!

Powered by Blogger