Escárnio e bem dizer
quinta-feira, outubro 16, 2003
 
RELATÓRIOSS!!!!! ARGH!!!!!
 
Vou jogar um jogo de pancada aqui no computador... e não me peçam para fazer os relatórios que tenho atrasados! quero lá saber!
 
olha olha... publicou... pelos vistos é preciso chamar-lhe nomes!
 
E agora esta porra insiste em não publicar!
 
é que nem um a dizer "estou ensanguentada"... bolas!
 
E vou já ali mudar o parvo do boneco que está estupidamente à toa.... vou ver se há algum a dizer que está com o período!
 
sim, eu sei que não têm culpa de como a natureza é, mas PORQUE RAIO HEI-DE EU FINGIR QUE ISSO HOJE NÃO ME INCOMODA!?!?!?!?!?
 
porque estou com o período e os sacanas dos homens não o têm! :(
 
e porquê?
 
hoje estou num daqueles dias em que se apanho um homem o espanco...
 
ainda hei-de descobrir qual a ligação entre o pequeno almoço e o meu ataque de espirros posterior ao mesmo.
 
continuo com as palavras presas. Queria tanto que elas saíssem, mas parece que ficaram ali entaladas entre a garganta e os meus dedos.
 
Obrigada João!
 
Vou ver o meu email... por isso se não escreveram e pensam fazê-lo aproveitem os próximos 5 segundos (tempo de abrir o email).
 
Tenho as palavras presas...
 
Pronto! ok, só agora é que passou... raio do tempo!
quarta-feira, outubro 15, 2003
 
E assim se passou mais um dia...
 
Sabem quando vos apetece mesmo mesmo uma coisa qualquer, pensam, estão mesmo convencidos, que a têm em casa e quando vão ao sítio onde era suposto estar ela já não está lá?... ARGH!!! que frustrante!
 
Chiça! as parvoíces que uma pessoa escreve só porque lhe apetece bater nas teclas e fazer post & publish!
 
hoje acordei e ontem também.
 
Abraça-me.
 
O teu silêncio sufoca-me. Espero ouvir uma palavra tua, uma explicação, um «está tudo bem», mas não ouço. Sufocas-me! não sei se o fazes de propósito, não sei se esperas alguma reacção minha... não consigo pensar. Bolas! eu devia conhecer esses sinais, esses pedidos, esses «jogos». Também os faço, mas não sei reagir quando sou eu que estou do outro lado deles.
O teu silêncio sufoca-me Catarina. Não me largues agora, diz-me o que pensas, o que tenho de fazer, que caminho devo seguir. Preciso que digas e não que esperes que eu procure. Não quero estar sozinha Catarina. Preciso de ti. Hoje como ontem como amanhã... preciso.
Sinto-me só. Mas sinto-te perto. Sei que estás aí mas te escondes para que eu te procure. Não me faças isso! vem ter comigo... preciso que sejas tu a vir ter comigo.
 
O teu silêncio sufoca-me.
 
Silêncio...
 
Continuo sem conseguir abrir o blog... qualquer dia vou atrás da Catarina
 
Estou com medo. Medo da tua reacção. Não sei que vais pensar, se estavas à espera.
Não me abandones, Catarina, é tudo o que te peço. Não me abandones. Entende-me, está bem?
Eu não te menti, pode parecer que sim, mas não o fiz. Acredita, está bem? gosto muito de ti, preciso muito de ti.
 
Agora fico sem saber o que escrever aqui
 
Desafiam-nos a Blogotinha e a Aanes a escrever um texto sobre leucemia com o objectivo de alertar as pessoas a tornarem-se dadores de medula óssea.

Medula óssea

A medula óssea é um tecido de consistência mole que preenche o interior dos ossos longos e as cavidades esponjosas de ossos, como por exemplo os da bacia. Neste tecido encontram-se as chamadas células estaminais que estão em permanente renovação.
Na verdade o que se retira do dador não é a medula, mas sim estas células estaminais saudáveis que vão substituir as células estaminais doentes do receptor e irão dar origem a novas células. Para que tudo isto funcione é necessário que as células estaminais do dador sejam o mais compatíveis possível com as do receptor.

Defesas do sistema imunitário

Ora, o nosso sistema imunitário é extremamente complexo e reconhece tudo o que lhe é estranho respondendo a agentes infecciosos e também a tecidos e órgãos dadores geneticamente diferentes, rejeitando-os (daí a necessidade de compatibilidade).
O nosso organismo, as nossas individualidade biológica é muito diferente de pessoa para pessoa e geneticamente herdamos essa individualidade.
Se numa transplantação de órgãos é necessária uma grande compatibilidade ao nível sanguíneo (nos antigénios HLA que agora não vou estar a explicar o que são), para transplantação da medula óssea é necessária uma grande compatilidade a nível molecular, o que torna todo o processo muito mais complicado.

Os dadores

Numa primeira fase tenta encontrar-se um dador através dos irmãos que têm 25% de hipóteses de terem um HLA idêntico. Caso não seja compatível, em Portugal pesquisam-se dadores no registo nacional, CEDACE, e caso não se encontre faz-se a pesquisa para o Bone Marrow Donors World Wide

CEDACE
(Centro Nacional de Dadores de Medula Óssea)

Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa
Campo de Santana, nº 130 - 1169-056 Lisboa
Tel. 21 8823530
Fax. 21 8850118

SER DADOR DE MEDULA ÓSSEA NÃO DÓI nem custa nada... a única consequência que tem é salvar vidas... pensem nisso, telefonem ou vão ao CEDACE e informem-se. Lá tem tudo o que vos escrevi aqui de uma forma mais completa.

Com tudo isto acho que iria tornar ainda mais pesado o texto se tentasse explicar o que é a leucemia. Mas como acho que todos vocês já têm luzes sobre isso, deixo-vos o link da Associação Portuguesa Contra a Leucemia . Vão lá, informem-se.

terça-feira, outubro 14, 2003
 
Vi aqui que vai haver um dia em que vários blogs vão colocar textos sobre leucemia. Gostava de participar. Fui ao blog da blogotinha e não encontrei como a contactar. Alguém me informa?
 
Eis um conselho de amiga e de quem acaba de passar por essa experiência:

Nunca, NUNCA, agitem um iogurte líquido sem terem o cuidado de colocar a tampa, está bem?
 
AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII que nerrrrrrrvooooosssssss!!!!!!!!!!
 
De qualquer maneira aquilo é um boneco... estive mesmo quase para a meter loira ;)
 
Respondendo aos comentários daqui: eu não sou ruiva (se calhar a bonequinha engana); tenho o cabelo preto.
 
É que nas opções para cabelo não há muitas...
 
Perdi-te algures entre o tempo de te agarrar e o de te largar.
 
Ele há com cada blog! há blogs aos quais jamais faria publicidade... tais como:

estavam à espera de quê? eu disse que não lhes fazia publicidade... ainda consigo ser coerente!








 
Ela voltou :)
 
Reparo que ainda não é uma da tarde e já aqui vieram 86 pessoas... VOCÊS NÃO TÊM NADA MELHOR PARA FAZER?

Olhem os links que aí estão ao lado! carreguem lá, vá! isso... lindos meninos!
 
Tenho é a impressão que depois de dizer isto vão começar a aparecer alguns que não hei-de gostar tanto ;)
 
Gosto muito dos comentários que me metem aqui.
 
Vivem-se emoções. Emoções boas, más, angustiantes, eufóricas, alegres, tristes, frustrantes, arrepiantes, desesperantes... tantas. Dia após dia. Por vezes com pouco tempo de separação entre umas e as outras.
Às vezes questiono-me como é possível que a maioria das pessoas as suporte de uma forma tão corajosa que consigam manter com a sua total saúde mental.
Há quem decida ser "zombie" da vida, para não se permitir viver nem enlouquecer. Há quem decida viver intensamente e no momento, para parecer louco naquele instante mas depois não o ser e há quem decida andar aos altos e baixos consoantes as emoções da vida... quem viva num permanente limbo... quem se sinta enlouquecer... quem se entristeça, alegre, voe, grite, chore, ria, sorria, quem precise dos outros para viver. Abrace, beije, fale, comunique, dê a mão, precise da mão... sei lá!

Há quem viva com as suas emoções e saiba lidar sozinho com elas. Há quem não as aceite e procure ajuda para lidar com elas. E há quem agarre a mão de quem aparece e quase enlouqueça quando as mãos começam a desaparecer...

Depois há os outros... todos.

Já nem sei quem sou.
 
Blog? blog? iuuu uuuuuuuu!!
 
Será suposto os links e calendários do 100nada ficarem cá tão para baixo ou será que a Catarina tem um monitor bem grande e no dela cabe tudo?
 
Quero dizer-te algo. Talvez um adeus, talvez um até logo, talvez um nada.

Quero que saibas que estou aqui. Só isso.

Gosto muito de ti.
 
Porque não gosto de ver a ruiva assim:



aqui fica um abraço


 
Tendo em conta que tenho uma média diária de 114 visitantes, chego à conclusão que anda muita gente fugida dos consultórios dos psiquiatras...
 
fiquei a saber que isto é verde claro! estamos sempre a aprender.
 
Agora reparo que o grey saí green será que o nome certo é gray?
 
Bem me parecia que tinhas sido tu ;)
segunda-feira, outubro 13, 2003
 
Porra que isto assim dá muito trabalho... vou-me ficar pelo preto ;)
 
ora assim fica com muitas cores
 
e assim?
 
Ah! desculpem... eu é que sou iztupida e via o cinzento aqui no blogger e pensava que no blog aparecia igual e... e... esqueçam lá isso!
 
aai!!!! porque me apareceu em cinzento ali?
 
aiiii agora faltou-me este link no post abaixo

 
obrigada por me ensinarem

 
Aliás para ser correcto o post abaixo deveria ter as letras em branco... mas como não sei fazer isso fica assim... :(
 
De nada.
 
por acaso têm de ser mais uns 10...
 
Venham mais 5
 
Abraça-me!
 
O link abaixo não é muito explicito... mas não encontro nenhum melhor e não me apetece explicar.
 
Acho que estou viciada em feniletilamina
 
E esta é outra! "sabem lá amiguinhas"; "sabem lá amiguinhas" e não me sai disto e eu que a ature com as mudanças! bolas! mas devo dizer-te amiguinha lili que gosto mais desta tua casa do que da outra... já o mesmo não digo da nova casa da tua autora.
 
O trabalho que esta mulher me dá! agora ficas com o link antigo ali ao lado! argh! não me apetece ir mexer template! chiça!
 
Bolas! tenho o relógio atrasado quase 2 minutos.
 
pi pi pi...

são 10 da noite!
 
Ainda na temática tabaco:

Muitas têm sido as manifestações de não fumadores que dizem que quem fuma acaba por ser criminoso porque prejudica quem está à sua volta. Sim, verdade. Mas isso acontece se quem fuma for realmente "criminoso" e não souber respeitar quem não fuma e está à sua volta.
Sou fumadora e não fumo em restaurantes (nem nos que têm zona de fumadores e não fumadores, porque quando lá vou levo amigos e nem todos fumam... prefiro fazer parte do grupo daqueles que, fumando, prefere abdicar disso em prol de quem não fuma), fumo em cafés caso os mesmos sejam suficientemente espaçosos e tenham cinzeiros (o que significa que são para fumadores). Fumo na rua, mas nunca o faço perto de grávidas, bebés e crianças ainda estando na rua porque o fumo nem sempre vai orientado para onde queremos.
Fumo na clínica mas nunca no meu consultório (ainda que tenha doentes que fumam e que sentem necessidade de o fazer na consulta, eu não fumo lá). Na clínica fumo numa sala própria para tal.
Fumo a conduzir mas apago sempre o meu cigarro no cinzeiro do meu carro. Não sou hipócrita em pensar: "o meu cinzeiro tem de estar limpinho, vou mas é sujar a rua e atear fogos nas bermas da estrada", nunca! fumo no carro, se não levar nenhum não fumador comigo, deito as beatas e cinzas no cinzeiro (é para isso que ele serve), e depois vão para o lixo. E fumo em casa. Na minha casa. E aí só abdico de fumar caso quem me visite seja criança, grávida ou bebé. De resto fumo, em minha casa, mesmo na presença de não fumadores. E eles sabem que é isso que encontram lá.
 
Eu sei que fugir não é a resposta nem a solução, mas às vezes é o que dá vontade de fazer.
 
Ainda dentro da temática etiquetas para maços de tabaco vão ver as sugestões no a-Deus

 
Quero dizer-te tantas coisas mas tenho medo que as oiças. Tenho medo que as entendas de uma forma que não quero que entendas. Preciso de ti e não quero perder-te. Sinto que perderei se não entenderes como deve ser. Como eu entendo... Será que eu entendo da maneira correcta? será que és tu quem vai entender da maneira correcta?
Tenho medo, Catarina, não me libertes. Agarra-me. Agarra-me na mão, olha-me nos olhos e percebe e minha dor. Preciso que a entendas e a aceites como real. Não me mandes simplesmente deixar de a sentir porque não consigo. Não é assim: não se pode estalar os dedos e deixar de sentir.
 
Também não interessa! tinha escrito um texto à minha avó mas não gostei. Ela merecia melhor. Por isso apaguei. Pronto!
 
Lembra-me a Duende da minha avô (ou das minhas avós). Já repararam que quando falamos de avôs e avós raramente o fazemos no plural? existe sempre uma que se destaca à outra e essa passa a ser a "nossa avó". Acho que em crianças somos tipo gato: nós escolhemos o dono, não é ele que nos escolhe a nós.

Bom e com isto esqueci-me do que ia escrever sobre a minha avó. Que mania que eu tenho de começar a falar de outros assuntos... argh!
domingo, outubro 12, 2003
 
Fumo e sabe-me mesmo muito bem. O que foi !?

É mesmo isto ;) se pudesse pôr uma delas era esta... se bem que estas:

- Fumar depois de dar uma é do melhor
- Eu sou só um macito de tabaco. Tás a olhar porquê?
- O alho provoca mais mau hálito que o tabaco em cerca de 67%

Também são muito boas ;)

Vou preparar umas etiquetas a dizer isso para quando me estragarem a estética do Davidoff.
 
Faz um rascunho das coisas que queres dizer... vai dizendo como rascunho, eu oiço. Depois, se quiseres, alinha as ideias. Eu não te interrompo e só falo quando quiseres que fale, quando tiveres esse texto totalmente alinhado. Não te preocupes com o facto de eu não entender inicialmente. Faz-me entender depois.
 
Eu espero que Jordi não se importe, mas não resisto em colocar aqui o link para o postal que me enviou e quase me deixou com a lagrimita no canto do olho.

Então aqui está.

Espero que o link funcione assim :)
 
sim, o meu problema não são as frases porque isso eu sei, nem as imagens porque já vi cadáveres de pessoas que morreram de cancro do pulmão e coisas que tal, é mesmo a estética do maço...
 
Estava aqui a olhar para a caixa do meu Davidoff mentol e reparo que os maços davidoff são os únicos que se mantêm no mercado sem aquelas letras gordas do: FUMAR MATA; FUMAR CAUSA IMPOTÊNCIA...

A caixa é tão linda! quando meterem isso vão estragar toda a sua estética.
 
Pior do que não haver fotografias é não haver memórias.
 
Estas, apesar de tesas, lá arranjaram forma de mudar de casa. Vão lá visitá-las.
 
Vou ali ver se se passa alguma coisa.
 
Já me estava a chatear com o blogger! queria corrigir um erro que tinha no texto abaixo e isto não deixava... eu bem digo que o melhor é ignorar os erros... vocês entendem de qualquer maneira! chiça!
 
Respondendo ao desafio que vi aqui mas que vem daqui:

Observo o silêncio que me inspiras. Junto ao rio retiraste-me o sono, e muito mais, naquela noite sombria que me parecia tão bela.
Lembro-me de tudo. Recordo a dor, como se fosse um espinho que se espeta na alma e já não se consegue tirar. Nunca mais. Ficaste entranhado em mim, meu querido, desde essa noite. A noite em que num sussurro disse o teu nome e sonhei muito.
Procurei-te dia após dia e tu ias fugindo. Começaste a erguer um muro entre nós, a serpentear em ziguezague para me fugires, como se eu fosse apenas uma louca que te deseja... enlouqueceste-me. Sim, enlouqueceste.
É dia. Encontro-me junto ao mesmo rio, sentada na areia olhando o movimento dos vários insectos: um carreiro de formigas que insiste em passar-me por cima do dedo do pé, um besouro que parece meio perdido, uma abelha que zumbe e abana as asas... olho para todos eles mas não os observo, mal os vejo. Penso em ti. Enlouqueceste-me. Ficaste entranhado em mim e, no entanto, não significas nada.
- NADA! - Gritei enquanto um casal se vira a olhar para mim.
"Nada..." penso deixando-me cair de costas na areia enquanto uma lágrima me escorre pelo rosto... "É um nada que significa tudo"... não, nunca te esqueci e vou ter de o fazer.

Powered by Blogger