Escárnio e bem dizer
sábado, setembro 27, 2003
 
Já me estragaram o fim de semana
sexta-feira, setembro 26, 2003
 
De partida para o meu Minho :)

Não se preocupem. são só dois ou três dias (e pode ser que lá ainda arranje um bocadinho para vir aqui meter o bedelho).
 
Será que tenho algum imodium em casa?
quinta-feira, setembro 25, 2003
 
Ao Jónatas o meu obrigada... e já agora podia ser um menu mcroyal deluxe, faz favor!
 
pensando bem podem ir cheirar o blog deles porque é bom
 
Ora... estou comovida com os meninos e as meninas do desblogueador :] (escusam de ir cheirar o blog deles porque estou comovida com um email que eles me mandaram...)
 
tenho dito
 
Escusam de andar para aqui a cheirar porque hoje não me apetece postar... pronto!
 
- Ah! reparo agora que você tem uma covinha amorosa!

E o que respondemos nós a isto?
 
Gosto muito de vocês (sim, sim é mesmo convosco que estão a ler isto!)...
 
Gosto da Louise... é estranha. Hoje enviou-me um email que ainda estou a tentar compreender. gosto. é desafiante.
 
Estou ou não a escrever mal que se farta!? eu olho ali para baixo e vejo alguns 3 erros... ou mais... o melhor é nem olhar porque não gosto de andar a fazer edit e não sei quê mais. Dá muito trabalho!
 
gastam-se alguns 40 contos no supermercado para depois olhar para a despensa e frigorifico e pensar: "AH não me apetece nada disto!"... ora porra para mim!
 
Eu às vezes obrigo-me a coisas que não lembram ao diabo!
 
tenho fome... o que estavam vocês a pensar... suas mentes preversas!
 
falando em comer...
 
ai! era tarde e não tar... ando a comer silabas...
 
descobri agora a Papoila... como é possível não a ter descoberto há mais tempo? não sei... mas mais vale tar que nunca. Bom, muito bom. Obrigada Ruivinha :)
 
só vim dizer que já passou a vontade...
quarta-feira, setembro 24, 2003
 
Quero chorar...
 
Quero ligar-te mas tenho medo de o fazer porque tenho tanta coisa para te dizer e não sei se consigo.

Desculpa. desculpa esta minha insistência... desculpa as minhas paranóias. Sim, eu sei... não tens de estar 24 horas disponível para mim... mas já não o estás há tanto tempo e eu tenho saudades tuas, preciso de ti, quero estar contigo, quero falar contigo. Acalmas-me sempre... às vezes enervas-me, mas mesmo no meio dos nervos me fazes pensar. Compreendes-me... não compreendes?... está bem. Talvez não compreendas inteiramente, mas compreendes o suficiente para eu confiar em ti... depender de ti... porque mais ninguém compreende. Mais ninguém me abraça e me ralha como tu... mais ninguém. E eu gosto tanto de ti...
 
há aqui alguém que um segundo depois de eu postar qualquer coisa que seja vem ler... como sabem se nem dá tempo de aparecer nos frescos? hum? será que tenho a PJ atrás de mim?
 
Penso ligar-te... mas sei que não devo. Sei que descansas a esta hora, ou te divertes. Não tenho o direito de interferir na tua vida. Eu sei. Mas gosto tanto de ti, minha querida. Fazes-me bem e preciso de ti agora. Preciso muito.
Quero dizer-to, e já não sei como. Não sei como te fazer perceber o quanto preciso porque sei que percebes que preciso. Mas é muito, muito mais do que pensas.

Porque sou assim? porque me escondo? porque coloco esta capa de "está tudo bem" quando não está?

Não está... não está...

Confias em mim. Acreditas em mim. e no entanto eu engano-te para te mostrar uma força que não tenho. Engano-te e meto-me até em perigo por fazê-lo. Sabias? não? nem vais saber porque não tenho coragem de dizer. porque tenho medo de dizer. porque não gosto de dramatizar e, mesmo quando é dramático, eu prefiro que não se veja só para que não se pense que estou a mentir. Por isso minto por defeito...
 
Precisava de dizer tantas coisas...
 
a língua portuguesa é muito traiçoeira... principalmente quando no brasil e em portugal as coisas têm dois significados...
 
Mas será que eu não consigo parar de fazer asneiras?
 
Arre porra que já entornei isto!!!

Mas porque me meto eu a cozinhar?
 
"wake me up inside" - isto é maravilhoso! (ouçam, agora na Best Rock FM)
 
O que posso fazer por ti? Eu faço.

Faço porque um dia quis fazer e não pude. Não por ti, mas por outro. Agora, que esse outro desapareceu, deixa-me fazer por ti... às vezes parece que o mundo te abandonou. Conseguem-se tantos milagres e não se consegue o milagre de te salvar porquê?
É uma luta desigual. Uma luta em que somos todos pequenos, em que aqueles que têm mais força não a aplicam toda... é desigual. E quero tanto salvar-te!
olho-te... vais desaparecendo à medida que o tempo passa. E eu só posso olhar. Não quero abraçar porque parece que a dor aumenta... abraço. Choro em silêncio. Quero salvar-te e não posso.
 
Porque é que isto:

Estou tão cansada de estar aqui...
Por que não és um sonho? porque não é tudo um sonho? a realidade é demasiado real para ser suportada...

Foi duas vezes?... eu estou cansada mas não exagerem, sim?
 
Estou tão cansada de estar aqui...
Por que não és um sonho? porque não é tudo um sonho? a realidade é demasida real para ser suportada...
 
Há coisas que devem ficar só para nós... como o post que acabei de apagar...
 
escrevo-te um grito de alerta... outro. Já te enviei tantos. Será que entendes o que são?
Sei. sim, sei mais do que a maioria das pessoas que a telepatia é muito bonita nos sonhos e nos filmes, mas gostava, eu própria de acreditar nela. Adivinho tantas vezes os pensamentos alheios, porque não adivinhas tu os meus?

Tenho medo de te desiludir... tenho... adoro-te. sabes o que isso é, não sabes? Sim, eu sei que pareço estar bem, mas não estou! porque pensas que escolhi ser o que sou? protejo porque quero ser protegida... como nunca o fui quero fazer pelos outros o que não fizeram por mim... preciso de ti... ajuda-me. Agora, já.
Tenho medo... talvez tenhas medo também... mas não sei.

Sinto-me pequena... muito pequena...
 
Se pudessemos chorar sempre que nos apetecia isso iria acontecer tantas e tantas vezes.
Quero chorar. Hoje como ontem e provavelmente como amanhã.
Estou cansada de estar aqui... de estar na vida. de todos os meus medos infantis e destas feridas que não se curam, nem estas cicatrizes desaparecem.

Porque não me sinto cativada? ou será que sinto?... sim, sinto, mas também me desiludo à velocidade da luz. e a dor torna-se demasiado real para eu a suportar...

O tempo não é resposta para tudo e cada vez me sinto mais presa a um passado que não posso ultrapassar porque o presente corre com demasiada velocidade e não me permite ficar lá atrás tal como eu precisava... precisava tanto...

sinto-me sozinha... preciso de ti e tu afastas-te cada vez mais... parece que quanto mais preciso mais te afastas... talvez uma coisa implique a outra.
terça-feira, setembro 23, 2003
 
Gosto de sentir o sabor do sal na boca... sabor intenso, forte e agradável... adoro!
 
às vezes penso... outras vezes não.
 
Ouvido de passagem:

Ela: eu amo-te e tu?
Ele: eu também...
Ela: tu também o quê?
Ele: Também te amo.
Ela: estás a mentir!!!!!


Sem mais comentários
 
Anouk: a nicotina não provoca dependência física. Logo não precisas dos cigarros e o que te faz ficar nesse stress todo é exactamente o pensares que não tens tabaco, se não pensares... ai esperem! ai... onde está o meu tabaco?

ONDE ESTÁ O MEU TABACO???

Ou me dizem já onde está a porra do tabaco ou parto esta merda toda...

Volto já.
 
ora porra!

comecei a escrever este post e reparei que não devo dizer-vos qual é a porra... pois.. ora, que faço agora? apago isto, publico assim mesmo e para quê?
 
Hoje estou um bocado trapalhona a escrever, mas não me apetece ir corrigir nada... tenho mais que fazer
 
Ah! claro que fui... que iztúpida! até meti ali em baixo o link para aquela rapaziada que afinal era só uma miúda com muita energia!
 
Não me lembro se já fui ver o email... bom o melhor é ir... não vá não ter ido.
 
Catarina, a cafeína tem poder analgésico, principalmente se tomado juntamente com ácido acetilsalicílico (comumento mais conhecido por aspirina ou aspegic). Há até já um grande número de analgésico que possuem cafeína na sua composição... por isso toma o café. (eu sei que a solução já vem tarde mas ficas a saber para a próxima).
 
Reparo agora que os textos são todos assinados pela Sandra... ora assim sendo não é rapaziada é uma miúda com muito ritmo.
 
Esta rapaziada manda-me um email. Gosta do meu blog e pronto, a gente foi ver o deles... (a gente sou eu). E depois achou graça (tem um não sei quê de politiquice que eu não gosto muito, mas têm graça e a gente perdoa)... Mas fiquei triste porque os arquivos não funcionam... sempre que leio um blog gosto de, pelo menos, ir ler a primeira semana para perceber a evolução... assim não deu... vejam lá se arranjam isso, está bem?
 
Que mais vão eles inventar!?!?
 
Porque deixaste de ser especial?
Observei-te ontem enquanto falavas. Parecia que aquele brilho no olhar que tantas vezes admirei tinha desaparecido. Desamor? Medo? Preocupações? frieza. Isso era de certeza. Quero dar-te a mão. Quero que voltes a sentir a paixão que tinhas. Por que a tinhas. Paixão pela vida. Queres mostrar que estás mais forte, mas não estás. Estás menos apaixonada e isso enfraquece-te ainda mais.
Gosto muito de ti. Sim, eu sei que não é suposto ligar-me assim. Mas liguei. E agora? agora tenho de conseguir fazer-te recuperar essa paixão ainda que, para isso, fiques a sentir raiva de mim. Salvo-te e perco-te. Mas não te posso fazer desacreditar. Neste momento é a descrença, a raiva (talvez) e o querer o afastamento que te movem. Queres e não queres...
Tens de conseguir afastar-te mas só a 50%, os outros 50% não te fazem mal e uma mudança demasiado e radical pode fazer. Gosto de ti miúda. Desconfias que só o digo porque é minha obrigação, porque tem de ser, porque é minha função. Mas não! eu gosto mesmo. Só que não podes saber o quanto. Sinto-te como se fosses minha filha porque, apesar da idade, és tão pequenina e tão bonita. Não quero que percas essa beleza, apenas que percas essa mágoa, essa fragilização, esse medo, essa insegurança.
Gosto de ti.
 
Vou-me embora. Pronto!
 
Incontactável. É como me apetece estar. Sem telefone, email, sem campaínha, sem nada. Sem ir trabalhar.
Estar sozinha em total e completa meditação.
Pensar. Pensar nas razões que me levam a estar angustiada.
Não posso fugir, também eu, dessa reflexão... por muito que doa. E doi.
 
Estes tipos do marketing inventam com cada uma...

2º Colóquio Psicologia Analítica - FREUD
Conheça Suas Necessidades e Se Compreenda Melhor
Realização dos Desejos -Princípio dos Prazeres - Erotismo - Sexualidade - Interpretação dos Sonhos -
Amor e Ódio - Antagonismo entre o Instinto e a Civilização...


Há alguém que lhes vá bater por andarem a roubar dinheiro às pessoas, por favor! obrigada!
 
Neste momento, até de escrever tenho medo.
 
Foges-me. Permanentemente. Foges.
Estou cansada das desculpas. Estou cansada de desculpar.
segunda-feira, setembro 22, 2003
 
eu começo a reparar que este blog tem momentos em que obedece a temas... há bocado eram as portas e portões fechados, depois os emails enviados e agora o programa da manhã da Best Rock (ou coisas ligadas a isso).
 
ah! que lindos! :]
 
E Parabéns à Anabela Markl... Mulher do Nuno Markl, o tipo que dá a mordidela mais famosa de todos os tempos ao cão.


Carreguem AQUI e vejam mais fotos das férias de Nuno Markl (descobri isto agora, que giro!)
 
Já o Luís Oliveira envia-me um email Politicamente incorrecto que aqui denuncio...
 
A louise, ali da Thelma e dela mesma, enviou-me um email simpático que agradeço aqui... E porque agradeço aqui? para meter aqui o link para o blog dela (SIM É PUBLICIDADE E DEPOIS?), e porquê? porque gosto. E hoje gostei especialmente deste post:

"Ele saíu...
e eu tive que pegar na minha vida outra vez.
"
 
Ai! a sopa 'tá quente!
 
Espero-te ali ao fundo.
Rodeada de muros, com muito espaço, com árvores que parecem assombradas e provocam tanta sombra, tanta escuridão.
Aquele portão. Preto, de ferro pesado, que guincha sempre que se abre... quando se abre. Quando? não me lembro. Talvez já não abra. Talvez já esteja perro...
Olho o mundo aqui deste lado. Tenho medo. Sinto que não pertenço a este tempo, a esta vida, embora ela me pertença a mim.
Olho o mundo e olho-te a ti que esperas que te abra o portão ou que, pelo menos, me dirija a ele para falar contigo. Eu deste lado, tu desse.
TU. Sabes tão bem o que está aí desse lado. Pedes-me para não ter medo e te abrir o portão. Mas eu permaneço, de mão no trinco, chaves no bolso, vontade de abrir e com falta de coragem. Porquê?
Quero tanto que entres aqui. Quero tanto que vejas este jardim assombrado, que descubras as sombras, que explores o mato. Mas não te deixo entrar. Tenho medo que penses que tenho flores aqui dentro e te desiludas. Não, Catarina, não tenho flores.

Sim... eu sei que sabes, mas tenho medo que tenhas dúvidas... tenho medo de te desiludir. Gosto demasiado de ti, Catarina... gosto... não fujas.
Dou-te a mão deste lado do portão. Meto um pé e a cabeça desse lado. Quero sair... sim, quero. Mas primeiro precisava que entrasses, mas tenho medo. Entendes?
 
É só impressão minha ou os jornais estão cada vez menos interessantes?
 
Onde? Como?

Perdi-me ou perdi-te algures enquanto esperava pelo tempo de te encontrar.
Tive dúvidas. Tenho dúvidas.
Talvez duvide mais de mim do que de ti, mas és tu quem paga as culpas das dúvidas qye crio sobre mim mesma e sobre o mundo que me rodeia.
Gosto tanto de ti e não te deixo entrar. Por que não te deixo entrar? E por que razão te afastas cansada de esperar por uma abertura que não consigo proporcionar-te?
Preciso da tua força. Preciso que me libertes. Tenho tão pouco a que me agarrar e preciso tanto de ti. Preciso que me ajudes a reconstruir, a clarificar.
Diz-me o que tenho de fazer!

Tenho medo. Tenho medo. Tenho...

Tenho tantas feridas mal cicatrizadas, mal curadas. Preciso que as vejas, que me digas como fazer, como as curar.

Não! não quero olhar para elas... deixa-as estar. Deixa, por favor!

Não!... não deixes. Entende que preciso de as ver. Não as podes deixar estar ainda que eu te peça isso.

Tenho medo.

Obriga-me a ter coragem de as olhar.


Tenho medo...

domingo, setembro 21, 2003
 
fartei-me de rir ao ler a referência do Thelma & Louise que se encontra no Ecos... vão lá ver!
 
Lembrei-me de mais um que queria colocar ali ao lado, o aDeus... que comecei a ler através do Ecos e passou a ser uma das minhas leituras diárias... não sei se o autor é mulher ou homem (mas parece-me homem), por isso fica nos outros.

Powered by Blogger