Escárnio e bem dizer
sábado, setembro 06, 2003
 
Ó minha amiga, tem calma! isso não é o fim do mundo.

Quando se ama, se vive a dois, se organiza uma vida dessa forma, é difícil pensar que a vida pode ter outra organização. Mas ela tem. Organiza agora a vida para ti, por ti e contigo. Sente-te. Pensa em ti. O que gostavas de fazer e não fizeste porque não estavas sozinha? faz isso agora. Aproveita o que de bom esta situação te traz e dá-te a oportunidade de mudar.

Há más alturas que nos fazem dar passos que muitas vezes transformam a nossa vida de uma forma muito positiva. Aproveita para não teres medo, pensares em ti, e transformares a tua vida. Força. Eu estou aqui para te abraçar quando for preciso.
 
Ao tentarem sair do site do aumento de pénis, entram num site pornográfico... será que isso já faz parte dos exercícios?
 
E eis que me chega isto por email:

"Com o MANUAL mais cobiçado da internet no momento, você aumenta o tamanho
de seu pênis de 2 a 7 cm em 2 meses com exercícios absolutamente
naturais. Aumenta também a sua potência, controle e volume da ejaculação,
dentre outros benefícios. Programa completo com figuras ilustrativas
explicando detalhadamente todos os exercícios. Fotos comparativas no site
de pessoas que experimentaram essa técnica. CLIQUE JÁ"

Não preciso, mas obrigada pela preocupação.
 
Comenta a anouk o seguinte post:

"E se um dia te sentires inútil ou deprimido, lembra-te so
disto: já houve um dia em que foste o espermatozoide mais
rápido do grupo!!!"


Da seguinte maneira

Pois é. É mesmo verdade, o que foi não volta a ser.
Boas blogadas.


Anouk

Neste caso é mesmo verdade... fiquei sem argumentos. Detesto ficar sem argumentos :P

 
Que alívio! a Lilizinha dos bolos já não está zangada comigo! :]
 
"Não há nada melhor que uma tablete de chocolate Nestlé para levantar os ânimos... pelo menos por agora.

(E não... não engordo...)"


INVEJA! humpf!
 
AH! já tinha saudades do irritante alarme do carro de um dos vizinhos! já há 3 dias que não tocava incessantemente como está a fazer agora.

A dor! a dor de cabeça!
 
Hoje estivemos todo o dia sem blogs... foi angustiante!
 
Sinto-me muito pequena e sinto-te muito longe. Já não sei como preciso de ti, mas sei que preciso de ti aqui.
 
Decidi colocar o meu email ali ao lado... acho que dá um ar mais credível e menos escondido a isto
 
(desculpem-me os mais sensíveis... mas achei esta o máximo!):

"Os pintelhos são como as ervilhas. Por mais que
ponhas de lado, comes sempre um ou dois"


 
"E se um dia te sentires inútil ou deprimido, lembra-te
so disto:

já houve um dia em que foste o espermatozoide mais
rápido do grupo!!!"
 
" Pior que uma pedra no sapato só um grão de areia no preservativo..."
 
"Todos os cogumelos são comestíveis. Alguns só uma
vez"
 
"A diferença entre o homem e a mulher, é pequena. Mas
aumenta quando ela se aproxima".



 
ou melhor... misturem sexo e paixão com amor, mas não confudam... era mais isto.
 
Há quanto tempo está a dar este novo big brother? uma semana? duas? já há gente a falar de amor? será que as pessoas têm a noção do que é amar?

Sexo é uma coisa. Paixão é outra. Nenhuma das duas é errada. Não misturem com amor.
 
Às vezes fico sem saber reagir a essa tua negação em me largares... talvez me tenha aproximado demasiado. Sei que não o devo fazer, mas acho humanamente mais correcto fazê-lo. Porém assim provoco dependências que poderiam ser evitadas...
sexta-feira, setembro 05, 2003
 
O mundo às cores é muito mais bonito, não achas?
 
De que tens tanto medo? de que te proteges tanto? não te escondas. Liberta-te.
 
Faço tanto rabisco. Alguns são tão estranhos que às vezes penso emoldurá-los. Já vi quadros bem caros e mais feios que os meus rabiscos.
 
Ouvido de passagem:

"Põe lá o chupa na boca!"
 
"Emoção de Verão"

Sinto-te com tanta força!
 
Acabou... :[ era um dos meus favoritos. Trazia música e poesia aos meus dias que agora ficam mais vazios.
 
Sinto saudades de um passado que não vai regressar. Um passado que passou, alterou a minha vida, e foi embora de vez.

É horrível pensar que perdi demasiado tempo nesse passado.
 
Sorris maravilhosamente.
 
Acho graça a esse teu caderno de apontamentos...
 
Olha-me. O que pensas tu de mim?
Será que pensas o mesmo de todos os que aqui se sentam? e quem és tu? Quais são os teus problemas? Tens dúvidas? porque me hei-de eu revelar a quem não se revela?
 
Roí as unhas e olhei para ti. Ficaste a observar-me com a expressão de quem questiona o que estarei a pensar. Sou assim mesmo: pensativa; cabisbaixa; calada. Tens muito de percorrer para entender. será que queres percorrer tudo isso?
 
Ai tão bom, tão bom! - Sim, adoro chupar as cabeças. Obrigada pela dica ;)
 
"Ao menos, todo este tempo a actualizar o template serviu para adicionar uns links ali ao lado. Agora fica mais fácil visitar a Maria e o xung (entre outros), blogs que têm no contador de visitantes um número com mais dois dígitos que este e que portanto não precisavam desta publicidade para nada."

Obrigada pela publicidade :]
 
Acabei de descobrir que estou na secção de FAZEDORES DE PALAVRAS - A Literatura Blogoesférica na Blogo Esfera... engraçado! nunca pensei estar numa secção dessas... obrigada a vocês. Mas esta lista deve ter dado uma trabalheira dos diabos a organizar!

 
Pronto, pronto, vais já voltar para os links... não quero ninguém zangado comigo!... bolas! já uma mulher não poder fazer birra por uma amiguinha ter ido jantar e não ter avisado a que horas voltava!
 
ALELUIA ACABOU O JANTAR!
 
Eu estou...
 
Deixa-me pedir-te uma vez mais que não me telefones, não me procures. Não posso fazer mais nada por ti. Tudo o que podia fazer já fiz.

Por favor, por ti e por mim, entrega-te à felicidade que tens nas mãos e não tentes fugir dela refugiando-te no passado só porque tens medo do futuro. Faz isso, por favor! não há mais nada que eu te possa fazer. O caminho é teu.
 
A todos os que me têm escrito o meu muito obrigada!
 
Passou um mês desde a criação do meu blog. Na altura em que o criei fi-lo por uma questão auto-terapêutica. Sabia o que sentia, porque o sentia, o que deveria fazer para deixar de sentir e meti mãos à obra.
A escrita liberta-me. Faz-me reflectir com mais facilidade e eu precisava de reflectir, assim como precisava de uma psicoterapia (e não só de uma auto-psicoterapia).
Não é errado assumirmos que nos sentimos mal, e não é errado assumirmos que precisamos de ajuda. Assumi isso, procurei ajuda e criei o blog. Num mês fiquei muito, mas muito melhor. Hoje sinto que este blog foi parte integrante da minha "cura" e sinto que uma das coisas que muito me ajudou foram os emails que fui recebendo e até as provocações de outras pessoas com filosofias de vida bem diferentes da minha.

Sinto que fechei um ciclo e que outro agora começa. Ainda não consegui perceber é qual o papel do blog neste novo ciclo. Quando perceber dir-vos-ei.
 
Entrego-me também totalmente à vida... às dores e às alegrias. Vivo tudo intensamente.
 
A paixão tem tanto de bom como de mau.

Por um lado deixa-nos leves, por outro atrofía-nos, torna-nos dependentes, deixa-nos com medos que antes não tínhamos e a sentir necessidades que antes não sentíamos.
Gosto de estar apaixonada, gosto de me entregar totalmente sem pensar nas consequências. Viver o momento (carpe diem). É assim que levo a minha vida. Não gosto de pensar em "cinzas" que depois podem ser limpas. Para quê sofrer por antecipação? os medos só nos fazem esconder e o facto de nos escondermos faz-nos não viver o paraíso totalmente. Acabamos dessa forma por antecipar a dor que poderia até nem chegar.
Por isso me entrego totalmente à paixão. E por isso sinto sempre as saudades com muita intensidade! Meu amor, vem aqui impedir-me de estar ao computador!
 
Tenho saudades tuas...
 
é curioso que a Catarina tenha desatado a cantar canções de infância, porque hoje ouvi uma criança (durante um tempo que me pareceu infinito) a cantar:

Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha tecto
Não tinha nada

Ninguém podia
Fazer xixi
Porque o penico
Não estava ali...

Mas qual é a graça de uma casa assim? ora que coisa... sem tecto, sem penico... e se chove? e... e... se nos dá uma vontade irresistível de fazer as necessidades? que porcaria de casa!
 
"A Maria faz um mês de blog. Isso em vida real provavelmente equivale à maioridade. Muitos parabéns.
15:04 vazio"


:]

:']

Gosto mesmo dela!
 
a Ruiva está louca com a ida aos estúdios da Antena 3... e é assim que se conquistam ouvintes. Não lhes vedando a entrada nos estúdios como aparentemente acontece noutros lados.
quinta-feira, setembro 04, 2003
 
:) adoro-vos!... a vocês os 8 (faz este blog um mesito hoje e acho que bateu o record de gente on-line, que giro!) :)
 
Mas que raio!?!?!? não percebo!... não percebo mesmo... eu olho ali para o lado e vejo 6 on-line e acho tão estranho!...
 
Voltaram o Tiago Dores e o Miguel Góis... onde anda o RAP?
 
AAAAAATCHIIIIIIMMMMMM! constipei-me! acho que ando a apanhar muito frio.
 
Obrigada Nelson
 
Parabéns ao meu blog, nesta data querida, muitas felicidades, muitos meses de vida! :]


Pronto, isto costuma cantar-se ao 1º ano, eu canto ao 1º mês.
 
Parabéns (atrasados 21 minutos).
 
Os sonhos revelam muito as nossas angústias e medos. Normalmente a pessoa que melhor os interpreta é quem os tem, se não o faz correctamente é porque está a bloquear uma situação qualquer... achei curioso o da mulher desconhecida que afirma ser mãe desta Neurótica.
 
Fui ali e ela recomendou-me ir aqui...

O meu é: Primula Bracegirdle of Hardbottle
 
Coragem. Parabéns!

Força miúda. Tudo parece melhor quando olhas para trás e vês que cresces-te à tua custa.
quarta-feira, setembro 03, 2003
 
Acho que o post anterior ficou um pouco estranho.
 
Disse eu ontem que hoje tinha um novo desafio. Tinha de ultrapassar-me novamente. Afinal era menos complicado do que pensei. Fiquei satisfeita apesar de não ficar com a sensação de ter ultrapassado um grande desafio.
 
:)
 
Bolas que não tenho tido tempo nenhum para o blog...

De manha: Ginásio
De Tarde: Trabalho
De Noite: Não têm nada a ver com isso...

De qualquer maneira quero aqui...

Espera, ai, (des)larga-me... aiiiii... deixa-me explicar issss......
 
Ela voltou e eu estou feliz.
 
ai ai ai tanto sono que eu tenho
terça-feira, setembro 02, 2003
 
"Aprenda mais de 2900 receitas culinárias de todas as regiões brasileiras !

clique aqui e visite nosso site"

Ó amigos eu sei que encomendo pizzas muitas vezes, mas quando me aplico na cozinha até saem umas coisas boas... não precisavam de me enviar um site com receitas... mas obrigada pela sugestão!


 
Pronto, pronto... tenho a certeza.
 
Acho que estou apaixonada.
 
Bolas! existem grandes filhos da puta no mundo...
 
À Conceição Ramos agradeço o esclarecimento (que me enviou para o email) sobre as RasTas... eu escrevi raspas num post lá em baixo... Bem me parecia que não devia tentar escrever coisas que não tinha a certeza ;)

Sobre este assunto, enviou-me também este link
 
Adoro sentir que fiz alguma coisa de positivo pelas pessoas. Hoje senti isso.
É terrivelmente frustrante e agonizante quando temos situações com solução mas em que a pessoa que pode solucionar o problema insiste em não querer fazê-lo. Por outro lado é muito bom ajudar a solucionar. Ouvir um obrigada. Um gosto tanto de si... tenho saudades...

Adoro falar com pessoas de quem tenho saudades. Adoro estar com pessoas de quem gosto. Adoro sentir que alcancei algo complicado de alcançar, que me ultrapassei e consegui chegar lá.
Hoje falei com alguém de quem tinha tantas saudades, estive com quem gosto, senti que me ultrapassei. Bati um novo record pessoal, logo fiz um upgrade a mim mesma. Agora, este tipo de situações deixaram de ser tão difíceis. Para a próxima já não sentirei a satisfação de a ultrapassar, mas existem outras... Amanhã tenho novo desafio. Maior do que o de hoje. Espero ultrapassá-lo. Espero fazer algo bom, como hoje fiz.
 
Estou feliz
 
cá vai o resto da história (ontem fizeram-me uma surpresa e já não voltei ao computador :) )

Na volta para a estação observei um engraxador que tratava dos sapatos de um cliente com quem falava animadamente. Uma vez mais a cigana insistiu em tentar vender-me as calças. Agora estavam aqui também uns jovens que faziam malabarismos enquanto uma adolescente, loira, de olhos azuis, raspas e piercings pedia a quem passava: "Can you give me a little coin, please?". Não resisti à sua simpatia e à inocência que tinha no olhar. Esbocei-lhe um sorriso e estendi-lhe uma moeda de 2 euros. "Thank you so much!"...
Sim, eu sei que estes jovens não querem trabalhar. Gostam de viver à margem da sociedade pedindo a essa sociedade, que trabalha, para poderem sobreviver. Alguns drogam-se, outros prostituem-se. Estes tenho a certeza que não fazem isso. Pela filosofia de vida que lhes conheço não injectam químicos (fumam erva e ouvem Bob Marley), não se prostituem. Pedem, tocam música e fazem artesanato. Talvez não seja a melhor forma de vida para a sociedade actual, mas talvez, quem sabe, um dia eles se apercebam disso... Dar-lhes uma "little coin" não mata ninguém e traz-lhes alguma esperança numa sociedade que, de alguma forma, os desiludiu.

Continuei o meu caminho. Nas escadas rolantes de acesso à estação era novamente quase abalroada, mas desta vez por uma criança que "fugia" de outra, escondendo-se de seguida por detrás de um dos pilares da estação.
Sentei-me à espera do comboio. Faltavam agora 15 minutos para o mesmo. À minha frente um homem fica completamente molhado pela água (e algo mais) que a senhora da limpeza despeja do andar de cima sem pensar nos passageiros que, no de baixo, esperam o comboio. Fiquei estupefacta. Observo como o homem olha para cima, para a sua roupa, para a sua pasta. Abana a cabeça enquanto outras pessoas dizem que isto é inacreditável. Ao bom estilo português não vai apresentar queixa aos responsáveis da estação porque "não vale a pena". Sei que, amanhã, a mesma senhora da limpeza vai voltar a fazer o mesmo, impunemente, porque ninguém reclama, ninguém alerta a CP para o facto de ter uma empregada que desrespeita e prejudica os seus clientes... "não interessa"... "não adianta"... e acabamos por não sair da cepa torta.

Chega o meu comboio. Uma mulher de olhar triste olha-me fixamente com um sorriso, enquanto me dirijo à carruagem. devolvo-lhe o sorriso em modo de defesa.
- Desculpa... - Diz-me enquanto aponta para a minha coxa direita colocando o dedo no buraco.
As minhas calças tinham-se descosido.
- Ah! - é tudo o que consigo soletrar. Ela sorri e afasta-se já dentro do comboio.

Espero que a Fátima tenha um estojo de costura na clínica.

A Fátima não tinha...

Na viagem de regresso optei por deixar de observar as pessoas e, fora um ou outro bebé que me desviaram a atenção com os seus sorrisos e risos, passei toda a viagem com o mesmo ar cabisbaixo de todas as pessoas que viajam nos transportes públicos... pensando na vida... repensando problemas... lembrando-me do que me foi dito nesse dia...

Cheguei à conclusão que os transportes públicos servem para potenciar os nossos pensamentos negativos. Hoje, amanhã e depois vou de carro... e depois... e depois... e depois...
segunda-feira, setembro 01, 2003
 
Hoje vi-me obrigada a ir de comboio para o trabalho. Eram já 10 da manhã quando cheguei à estação, por isso a hora de ponta já tinha passado.
Comprei o bilhete... Não andava de comboio há imenso tempo, por isso não fazia ideia que os bilhetes estavam tão caros. Olhei depois para o placard com os horários e verifiquei que o meu comboio era daí a meia hora. MEIA HORA?!?!?!? Bolas! e depois querem que as pessoas optem pelos transportes públicos! são caros e poucos...
- Ok, vou tomar café enquanto espero - Pensei.
Fui. Pelo caminho até à pastelaria sobrelotada encontrei uma cigana que insistia em vender-me umas calças a 5 euros.
Já na pastelaria uma senhora idosa insistiu em não esperar um pouco para sair da mesma, apesar de eu já me encontrar a meio da entrada. Era quase abalroada pela dita que me olhou depois como se a falta de respeito tivesse sido minha...

Não havia mesa.

Decidi tomar café ao balcão, juntamente com mais algumas dezenas de pessoas que também esperavam pelo comboio e também não tinham mesa.
Uma empregada mal encarada lá se lembrou de me perguntar se era café o que eu queria. Disse-lhe que sim.
Com o café já pago e a meio decidi fumar um cigarro. Enquanto o tirava da carteira a empregada roubou-me o café para lavar a chávena. Senti-me a ser expulsa daquela espelunca, cheia e com gente mal encarada.
- Minha senhora, eu ainda não tinha acabado.
- Pensei que sim - grunhiu enquanto me virava as costas.

Furiosa exigi outro café. A mulher olhou-me de lado como se fosse um bicho estranho... os outros clientes olharam-me de lado como se eu é que estivesse errada por reclamar um direito. O direito a tomar o café que tinha pago.
Mal encarada tirou-me outro café. Colocou-o no balcão. Agradeci e virei costas sem o tomar.
Ficou-me a certeza de nunca mais voltar àquele local onde ouvi outros clientes resmungarem palavras como "estúpida" ou "ela tem toda a razão".

continuo esta história mais daqui a pouco
 
Acho que ela se está a empanturrar demasiado... vou colocá-la em lista de espera... retiro-a ali do lado por enquanto.
 
:( já é Setembro!
 
Foi esquecimento... Já está ;)
 
Gosto muito desta rapariga, mas já tinha tantas saudades dele!
 
Aquela sinalização de quantas pessoas estão online faz-me compreender que estou acompanhada nesta janela às 6h40 da manhã... que reconfortante. Obrigada pela companhia. Sejas quem fores.
 
Decidi reorganizar a barra aqui ao lado. Começam a aumentar os favoritos e senti a necessidade de os separar por temas... Poderão surgir outros temas mais tarde, ou não!
 
Não sei. Não sei o que procuro incessantemente sem encontrar. O mundo olha-me de cima tão só, tão pequena, tão perdida...
Quero gritar por ajuda mas não tenho forças. Não tenho coragem. Não quero ser fraca.
Odeio este sítio. Odeio estar aqui nesta casa suja, desordenada.
Não quero ver. Procuro respostas mas não as encontro. Ou talvez encontre mas são vozes que não quero ouvir. Não quero!
Sento-me numa esquina da casa, encolhida, cabeça enfiada entre os joelhos... não quero ver! Não!
Não posso ficar aqui. O cenário à  minha volta torna-se cada vez mais feio, mais sujo, mais só... solidão.
Procuro-a? ela procura-me a mim? não sei. Mas ela está cá...
Choro. Choro tanto.

Dá-me a mão... preciso da tua mão. Por favor. Escuta-me. Olha para mim. É disso que preciso. É assim tão difícil de entender?

Powered by Blogger